skip to Main Content

Entidades discutem linhas de crédito para comércio e indústria em reunião na Prefeitura

Objetivo é conter demissões nas empresas diante da prorrogação da quarentena até 10 de maio

Dirigentes da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), Associação Gestora do Taboão (Agestab), Associação das Empresas de Serviços Contábeis (Aescon), Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio) participaram de uma reunião, na manhã desta segunda-feira (20/04), com o prefeito Marcus Melo e representantes de alguns dos principais bancos da cidade para discutir linhas de crédito para ajudar as empresas e evitar demissões, já que a quarentena foi prorrogada até o dia 10 de maio, com restrições no funcionamento de parcela significativa das atividades produtivas.

O principal pleito apresentado pelo prefeito e dirigentes das entidades do comércio e da indústria foi a simplificação no acesso ao crédito. E, principalmente, uma atuação mais próxima das equipes locais dos bancos com os empresários da cidade para ajudar no entendimento das regras para o acesso ao crédito.

Sabemos que as regras de crédito são nacionais, mas existem várias linhas de crédito, assim como outras ações emergenciais liberadas pelos bancos que podem ajudar os empresários neste momento, principalmente os pequenos. O que queremos é o apoio dos bancos da cidade para ajudar esses empresários a acessar os produtos disponíveis, nas melhores condições de mercado. Isso é essencial para que as empresas consigam fôlego para atravessar esse período, mantendo os empregos dos funcionários”, disse o prefeito Marcus Melo.

Além de canais de atendimento telefônico às empresas, foi solicitado aos representantes dos bancos a realização de conferências online também com os contadores para explicar as linhas de crédito, já que os escritórios de contabilidade são frequentemente acionados pelos empresários, em especial os pequenos.

Os questionamentos surgem principalmente diante da necessidade de recursos para pagar a folha de pagamento e os tributos. É muito importante que os contadores saibam orientar e o empresário tenha condições de negociar empréstimos existentes, assim como captar novas linhas de crédito em condições especiais”, ressaltou Marco Zatsuga, presidente da ACMC. “Flexilibilizar as exigências de acordo com o histórico das empresas é indispensável para viabilizar isso”, acrescentou.

Para o gerente regional do CIESP Alto Tietê, Manoel Camanho, o momento exige o esforço de todos os segmentos para assegurar a sobrevivência das empresas e a preservação dos empregos. “Uma queixa bastante comum é que as linhas de crédito anunciadas não chegam na ponta, ou seja, nas empresas. Essa articulação que está sendo proposta no município deve facilitar esse acesso e ser uma importante ajuda para manter os negócios neste período”, comentou.

Outro tema bastante discutido foi a possível flexibilização no funcionamento das atividades comerciais, como ressaltou o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez. “Existe uma grande preocupação com a pandemia e o comércio tem colaborado com as ações, mas não podemos fechar os olhos para a “pandemia financeira” que as medidas de contenção estão causando. Essa prorrogação da quarentena demanda esforços extras para evitar um caos ainda maior e temos muitos segmentos pressionando pela reabertura”, frisou.

O prefeito voltou a pedir o entendimento e o apoio dos dirigentes quanto a quarentena e esclareceu que a administração municipal não tem autonomia para liberar o funcionamento de atividades não previstas no decreto estadual, sob pena de ser acionada judicialmente. “Na semana passada, o Ministério Público deixou claro que os municípios são obrigados a seguir as regras estabelecidas pelo Estado. A exceção seria apenas para ampliar ainda mais as restrições impostas pelo Estado”, destacou.

Melo determinou que todas as linhas de crédito disponíveis, assim como outras ferramentas liberadas pelos bancos, sejam compiladas e disponibilizadas para a população, nos próximos dias, na página do Case – Comitê de Ação Social e Econômica no site da Prefeitura (www.mogidascruzes.sp.gov.br).

Participaram da reunião representantes dos bancos Caixa Econômica Federal, Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Sicredi.