skip to Main Content

ACMC lança campanha virtual do Dia das Mães

Iniciativa visa estimular os consumidores a comprar presentes por meios eletrônicos na segunda principal data do varejo

A ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes acaba de lançar uma  campanha virtual do Dia das Mães com o objetivo de estimular as vendas por meio eletrônico e minimizar os impactos da quarentena na segunda principal data do varejo, que neste ano será comemorada no dia 10 de maio.

A campanha virtual do Dia das Mães conta com várias peças publicitárias que podem ser baixadas gratuitamente pelas lojas associadas e chegar  até o consumidor através do site, redes sociais, whatsapp e outros canais eletrônicos.

Patrocinada pelas empresas Arrumando a Casa, CS Brasil, Saint Thomas School e o O Boticário, a campanha virtual  do Dia das Mães 2020 tem o slogan “Maio é o mês de celebrar aquela que sempre segurou em nossas mãos. Em todos os momentos da vida”.

“As lojas não estão com as portas abertas e as pessoas em isolamento social. Mas mesmo de um jeito diferente, o Dia das Mães inevitavelmente será comemorado pelas famílias neste mês. A nossa campanha reforça o apelo que a data tem e dá ferramentas para que o associado possa estimular os filhos a comprar presentes para as mães também por meios alternativos”, ressalta a vice-presidente da ACMC, Fádua Sleiman. “O presente é uma demonstração de carinho e mesmo que não entregue pessoalmente, pode amenizar a saudade que o distanciamento social tem gerado”, acrescenta.

A dirigente reforça que as vendas eletrônicas são essenciais para minimizar os prejuízos gerados pelo fechamento das lojas.  Além de utilizar esse modelo de negócio, a vice-presidente da ACMC lembra que muitas pessoas tiveram o contrato de trabalho suspenso ou sofreram redução de salários e o clima de incerteza deixa as pessoas temerosas de fazer dívidas. Diante disso, orienta o comerciante a ter opções de produtos com  preços mais acessíveis e com maior facilidade para pagamento.

“A data tem um apelo muito forte e os filhos vão se esforçar para comprar presentes, mas o comerciante precisa ter opções que se encaixem na necessidade do momento atual”, conclui a vice-presidente Fádua.