skip to Main Content

Associação Comercial de Mogi pede que papelarias sejam incluídas como estabelecimentos essenciais

Lojas fornecem material escolar e produtos para escritórios e comércios

A direção da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) solicitou para a Prefeitura de Mogi, a inclusão das papelarias no rol dos estabelecimentos essenciais na fase vermelha do Plano São Paulo. No momento em que as crianças voltaram para o ensino remoto, os materiais escolares são essenciais para a continuidade dos estudos, bem como para os professores que necessitam dos itens para dar às aulas online.

O pedido da ACMC foi entregue por meio de ofício ao prefeito Caio Cunha e reforça a solicitação da Rede Brasileira de Papelarias (Rebraspaper) pela inserção do setor como estabelecimento essencial da fase mais restritiva do Plano São Paulo.

A presidente da ACMC, Fádua Sleiman, ressalta que o setor é importante para a manutenção de outros comércios. “Além dos materiais escolares tanto para os alunos quanto para os professores, as papelarias fornecem itens para as lojas e escritórios, como papel sulfite, canetas e bobinas, essenciais para a emissão das notas fiscais. As papelarias oferecem ainda, serviço de impressão e impressos para pagamentos de títulos e boletos”, explica.