skip to Main Content

Associação Comercial de Mogi diz não ao pedágio

Entidade busca mobilizar o setor e os mogianos contra a proposta

Pedágio Não. A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) marca sua posição contrária à proposta de implantação de pedágios na Mogi-Dutra e Mogi-Bertioga, com a instalação de uma faixa em sua sede. A entidade ressalta que o projeto do Governo do Estado, que se encontra na etapa de estudos, trará prejuízos e impactos para o comércio local.
O setor é um dos principais motores econômicos da cidade e é a segunda maior empregadora, com mais de 23 mil postos de trabalho gerados, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). “A instalação de pedágios em nossa cidade acarretaria no aumento dos custos para os empresários e para o consumidor. Nossa competitividade cairia e perderíamos espaço para outras regiões, sem contar a perda de negócios e a fuga de novos investimentos, que impactariam toda a economia mogiana. A Associação Comercial de Mogi é terminantemente contra a cobrança, não há explicação para se colocar um pedágio na Mogi-Dutra”, reforçou a presidente da ACMC, Fádua Sleiman.
Pela proposta apresentada pelo governo estadual, o plano consiste na implantação de cobrança no sistema free flow – que não conta com cancelas -, no quilômetro 44 da rodovia Mogi-Dutra, ao custo de R$ 1,95 e outro no trecho perto de Arujá (R$ 1,45), além de um na rodovia Mogi-Bertioga, na altura de Bertioga.
A presidente da Associação Comercial destaca que Mogi é um importante polo comercial para a região. “Compramos e vendemos muitos produtos para outros municípios, além disso, atraímos muitos consumidores. As cidades da região são interligadas, pessoas moram em Mogi e trabalham em outros locais e vice-versa. Todos sairiam perdendo”, analisou.
A Associação Comercial está atuando junto à Prefeitura, à sociedade civil e à Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) para evitar a implantação de pedágios na cidade. “Assim como em 2019, precisamos nos unir para mais uma vez impedir que esse projeto siga em frente”, disse.
A audiência pública que discutirá o projeto está marcada para a próxima sexta-feira (18), às 10 horas, na sede do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), em São Paulo.