skip to Main Content

Decisão de suspender folgas do Carnaval recebe apoio da ACMC

Para entidade, a medida trará um pouco de alívio para parte do setor que terá que fechar nos próximos fins de semana

A ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes concorda com a decisão do governo estadual de suspender os pontos facultativos do Carnaval, marcados para os dias 15 e 16 de fevereiro. Para a entidade, a medida ajudará aliviar, em parte, o impacto gerado pelas medidas mais restritivas do Plano SP em vigor até o próximo dia 7. A Prefeitura municipal também já informou que irá suspender os pontos facultativos.

Na Região, de acordo com o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), a maioria das prefeituras também suspenderá as folgas. A medida visa evitar as aglomerações, o deslocamento das pessoas e, consequentemente, o aumento dos casos de Covid-19.

A ACMC realizou uma pesquisa com associados que apontou o apoio a medida. A presidente da associação, Fádua Sleiman, ressalta que a decisão traz um pouco de alívio para os comerciantes, que desde o último dia 25, estão enfrentando medidas mais restritivas impostas pela fase vermelha do Plano São Paulo. “Pelo menos neste item, concordamos com o governo do Estado, pois, esta atitude compensa em parte o fechamento das lojas neste e no outro fim de semana (30 e 31 de janeiro; 6 e 7 de fevereiro)”, acrescenta.

A entidade é contra as medidas mais restritivas adotadas pelo governo estadual, que atingem diretamente o comércio. A ACMC é sensível ao aumento dos casos e a preocupação gerada pela situação, mas argumenta que o setor não pode ser responsabilizado pelo cenário, já que adota todas as ações impostas pela Vigilância Sanitária para garantir a segurança dos clientes e colaboradores. “Enquanto alguns setores continuam funcionando normalmente, outros são penalizados. Esta situação traz injustiça e pode gerar um colapso para o varejo”, avalia Fádua.

A fase vermelha do Plano São Paulo estabelece que até o próximo dia 8 de fevereiro, bares, restaurantes, lojas de rua e shopping, além de salões de beleza e academia, devem encerrar suas atividades até às 20 horas em dias de semana e fechar as portas nos sábados e domingos, sendo permitido apenas o atendimento por delivery. Para sensibilizar o governo estadual sobre os impactos negativas sobre o setor, a ACMC realizou nesta semana uma carreata que tomou as principais ruas de Mogi.